Livros da Moça Resenha: Fangirl, de Rainbow Rowell

FANGIRL_CoverDec2012
Sinopse: Cath é fã da série de livros Simon Snow. Ok. Todo mundo é fã de Simon Snow, mas para Cath, ser fã é sua vida – e ela é realmente boa nisso. Vive lendo e relendo a série; está sempre antenada aos fóruns; escreve uma fanfic de sucesso; e até se veste igual aos personagens na estreia de cada filme. Diferente de sua irmã gêmea, Wren, que ao crescer deixou o fandom de lado, Cath simplesmente não consegue se desapegar. Ela não quer isso.

Em sua fanfiction, um verdadeiro refúgio, Cath sempre sabe exatamente o que dizer, e pode escrever um romance muito mais intenso do que qualquer coisa que já experimentou na vida real. Mas agora que as duas estão indo para a faculdade, e Wren diz que não a quer como companheira de quarto, Cath se vê sozinha e completamente fora de sua zona de conforto.

Uma nova realidade pode parecer assustadora para uma garota demasiadamente tímida. Mas ela terá de decidir se finalmente está preparada para abrir seu coração para novas pessoas e novas experiências. Será que Cath está pronta para começar a viver sua própria vida? Escrever suas próprias histórias?

Eleanor & Park me deu all the feels enquanto lia e assumiu rapidamente para o posto de livro favorito. Delicado, profundo e doce , Rainbow Rowell sabe como te conquistar ao escrever assuntos com muita delicadeza.

Eu conheci Fangirl primeiro, através de uma resenha no Nem Um Pouco Épico. Joguei ele de lado e corri para ler Eleanor antes. Fangirl foi lançado pela Novo Século aqui no Brasil em Agosto.

Em minha viagem à Bienal do Livro esse ano, não resisti. TINHA que comprar. Duas coisas que eu gostei nos livros da Rainbow lançados pela Novo Século são o projeto gráfico e as capas. Delicados, com as letras médias e as páginas com a cor “pólen”, eles são super gostosos de ler. O interior da capa de Eleanor tem um desenho delicado de uma fita cassete e headphones. A de Fangirl é toda rosa por dentro. Um sonho! <3

Contando a experiência de Cath (Cather! <3) durante seu primeiro ano de faculdade, o livro falawpid-mapldztkso.png sobre amadurecimento e fanfics, aha. Nossa heroína é uma fangirl de Simon Snow, uma cópia descarada de Harry Potter, e escreve histórias envolvendo os personagens desse universo. Ela é tímida, meio antissocial e completamente dependente de sua irmã gêmea.

Sua gêmea, Wren, é seu completo oposto: festeira e aberta à interação social (kinda Bitch too). Depois de 18 anos dividindo praticamente tudo, Wren decide que não quer mais dividir o quarto com Cath na faculdade. Cather ODEIA mudanças e acredita que o ponto crucial em se ter uma irmã gêmea é não precisar conhecer novas pessoas. Ela também não vê com bons olhos as atividades normais da faculdade, como beber e festas (Tamo junto, amiga).

Seu círculo social se resumiu a Reagan, sua colega de quarto, Levi, amigo de Reagan e Nick, colega de classe de Cath e babaca em tempo parcial. O tempo que ela não está com eles, nossa heroína prefere passar uma calma noite na biblioteca, escrevendo suas fanfics. Para ela, a ficcção é melhor do que a realidade. Sua outra identidade é Magicath, uma autora de fanfics muito famosa no fandon de Simon Snow.

Cath estuda inglês e participa de uma aula de escrita avançada. A escrita é uma coisa que Cath usa para a ter uma voz, mesmo que ela não seja realmente sua.

Claro que nenhum romance estaria completo sem o romance. Levi é todo sorrisos e café (Starbucks <3). Doce e quente. Toda vez que ele sorria no livro, eu sorria sem motivo de tão boa que é sua enegia. Mesmo se ele não fosse namorado de Cath, Levi seria um ótimo amigo. É o tipo de pessoa que não te deixa na mão.

Aos tropeços e acertos, como todo mundo, Cath amadurece e começa a se encontrar como pessoa e como escritora.
wpid-qxkqutqf1v.png
“Why do we write fiction?” Professor Piper asked. / – Porque escrevemos ficção?  – Professora Piper perguntou.


Cath looked down at her notebook. / Cath olhou para seu caderno.

To disappear. / Para desaparecer.

Achei super interessante a abordagem do universo das fanfics. Eu descobri esse tipo de escrita em 2009, com Crepúsculo e depois Harry Potter. No caso de Crepúsuclo, muitas fanfics são beeeeeeeeeem melhores do que o livro. Em outros casos, tudo é uma porcaria (Sim 50 shades, essa foi para você). Descobrir as fanfics foi a minha passagem para descobrir que eu poderia ser escritora, mesmo tendo que pegar algumas coisas emprestadas de algumas autoras, hehehe.

Coisas que me irritaram no livro:

Simon Snow – Cópia sem sal de HP (que nunca é mencionado no livro. How?), não senti o mesmo apelo por Snow do que tenho por Potter. Ainda mais com toda aquela história de, na visão da Cath, ele se apaixonar por Baz. Já li fanfics Drarry (Draco x Harry) sem problema nenhum (não me julguem! se a história é boa, leio de tudo.), mas, novamente, não senti que o “amor” dos dois era válido.

Wren – Bicha, mas a senhora é uma vaca! Sério. Irmãos brigam e discutem, mas quando se tem um relacionamento como o das duas, você não abandona seu irmão sem mais nem menos. Ela se redimiu um pouco no final. Entendo que se ela e Cath estivesse grudadas não haveria história, mas tem jeitos diferentes de se lidar com a situação.

Os inícios de cada capítulo – Eles começam com um pedaço de alguma história, seja Simon Snow ou alguma fanfic de Cath. Lógico que eles não estão ali por acaso, eles tem alguma ligação com o que aconteceu ou vai acontecer na história. Mas eles não são tão apelativos quanto os acontecimentos da vida de Cath.

Fangirl é ótimo! Meu favorito ainda é Eleanor & Park, mas Fangirl é uma leitura recomendadíssima.

Quatro estrelas e meia. <3

Assinatura Isa

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *