Um ano depois

maisdetrinta_fim-do-relacionamento
Papo de Moça

Postagem motivada pela puxada de orelha de uma professora e pela minha vontade de fazer drama de coisas passadas.

“Olhe em volta e aprecie. Nada será o mesmo daqui a um ano”

Ontem fez um ano que fiquei com você pela primeira vez. E foi a primeira vez que nos “vimos” depois da vez que tentamos fazer o que não deveríamos.
Me lembrei daquele dia há um ano atrás como um todo. Não veio nenhuma lembrança em especial sua. Achei que essa data me assombraria por tanto tempo que fiquei com medo a medida que ela se aproximava.

Fiquei com medo de você tentar algo de novo, que não seria a primeira vez. Fiquei com medo de quando te visse, sentisse algo novamente. Medo de como meu coração ia se comportar quando te visse de novo.
Tenho tanto medo das coisas que a vida acontece e eu nem vejo.
Pensei nos motivos que me levaram a gostar de você. Não os acho muito válidos nos dias de hoje. Na época, eram tudo. Na minha mente exagerada e dramática, até as músicas que eu ouvia eram desculpas para tudo aquilo que eu queria sentir.
E aí é que está a questão. Eu queria me apaixonar, não só por você, mas por qualquer outra pessoa. Queria sentir que era capaz de encantar alguém e me deixar ser encantada. Mesmo que pelo lobo em pele de cordeiro. Você foi a pessoa que apareceu no momento.
Me lembro de cantar “Baby, i just want your damn bad intentions”. Desde o começo sabia que você não era o certo pra mim. Mas eu queria acreditar o contrário. Hoje vejo todas as suas artimanhas e como fui muito ingênua para cair em todas elas.
Você marcou o início da minha mudança. Conhecer você foi a minha chance de fazer coisas erradas, escondidas. “O primeiro dia do resto da minha vida”, lembro de ter publicado uma foto no meu Instagram com essa legenda, achando que esse era o primeiro de muitos dias com você.
Você chegou no final do furacão que passou pela minha vida e achei que era a minha luz no final do túnel. Achei tantas coisas que no final, meus achismos foram superiores a toda a realidade à minha volta. Foram eles que deixaram as marcas e as cicatrizes. Se tivesse sido mais esperta, tinha te dado adeus com gosto.
Porque você não foi embora. Você simplesmente, “puf”, desapareceu como mágica. E quando você se foi eu curti AQUELA bad. Escutei todas as músicas que podia. Chorei rios. Fiz dramas que eu sei que só eu faço (desculpa, é o meu lado câncer).
A bagunça que eu deixei você fazer foi ridícula. As migalhas que você me deu, me deixaram com medo de começar outras coisas. Coisa que só percebi quando de fato precisei começar algo com alguém novo. Percebi que muitas das coisas que você fez pra mim, são coisas que não devem ser feitas com ninguém.
Você voltava ocasionalmente pra remexer as feridas e me deixar brava. Quando você quis voltar de uma maneira mais definitiva, me deixei levar de novo, mas só pra ver até onde você queria chegar. Indiretas trocadas com músicas, tanto para deixar você achando que te queria, quanto pra te deixar puto da vida.
Ainda lembro da minha favorita (“Blindly in love, I fucks with you / ‘Til I realize, I’m just too much for you / I’m just too much for you” A limonada da Beyoncé foi o meu hino quando você voltou pra minha vida), postada num sábado de manhã. Você nunca me mandou mensagem tão rápido.
Você queria os privilégios de um relacionamento, sem o relacionamento. Queria a posse sobre mim, mas sem me querer de fato. Você era tão confuso sobre seus sentimentos e ações sobre mim que até hoje não tenho muita certeza do que aconteceu sobre a gente.
Talvez minha amiga tenha razão. Talvez você tenha gostado de mim e até sinta algo ainda.
O que eu mais lembro sobre “a gente” é a maneira que tudo acabou. Um áudio mandado pra você pelo meu melhor amigo de madrugada, quando estávamos apagando a sua conversa e todos os traços de você do meu telefone. Nossa conversa no dia seguinte e o seu aviso pro meu melhor amigo “se cuidar”.
Mas acho que no final das contas, eu marquei você mais do que você me marcou. Meu namorado me perguntou se eu tinha quebrado o coração de alguém. Respondi que sim. Tenho quase certeza que quebrei seu coração quando disse que tinha alguém que me merecia mais do que você e que eu ia dar uma chance a ele.
Se não foi seu coração, com certeza foi seu ego. Afinal, a cara feia ontem a noite não veio de mim.
Pra falar a verdade, nem te vi direito ontem.
Assinatura Isa

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *