Listas da Moca

Balanço Anual: Coisas que eu fiz (ou não) em 2014

 sl1

Com a chegada do fim de 2014, resolvi fazer esse balanço sobre o ano de 2014. Para efeito de registro , eu comecei essa lista em outubro e editei várias vezes desde então.

Percebi que fiz acertos e erros. Alguns erros foram mancadas minhas, em alguns eu assumo metade da culpa. E em outros, nem sei que culpa eu tive na história. A vida segue.

Foi um ano interessante. Comecei a realmente perceber a importância de me colocar em primeiro lugar e a crescer. Algumas coisas da minha personalidade são bem infantis, e cara; To crescendo. Ainda tenho uns bons dois anos para resolver essas coisas. Pelo menos eu to admitindo. Bjs pro recalque.

Acho que o crescimento acontece quando você começa a fazer coisas que não quer fazer e aceita isso como parte da vida. Termina relacionamentos de qualquer tipo (amoroso, profissional e amizades) por que eles não tem mais nada a te acrescentar e não sofre tanto por isso.

Fiz 20 anos e resolvi levar mais a sério o que li uma vez. Os 20 são os anos egoístas. Não tenho nada que me prenda em lugar algum e não vou me deixar ser confinada em situações ruins.

Tirei gente ruim da minha vida (as possíveis no momento, pelo menos)

Muita gente pisou na bola comigo em 2013 e 2014. Alguns pararam de falar comigo por livre espontânea vontade (bom) em 2014, mas o que eu excluí por conta própria também foram ótimos.

Coloquei gente nova na minha vida

Amizade de Bienal do Livro (Rafa e Matheus) vai pra frente e amigos do teatro são lindos (Ed marido <3) demais <3. Sem falar das amizades de redação de Jornal (Bia e Bruna). Menção honrosa aos novos amigos de faculdade que eu descobri (Gui [meu príncipe], Alefe [meu divo] , Isa-linda-xará e vários outros) em 2014.

Fiquei com alguém só por ficar

Não vou pagar de santa e dizer que isso é errado/pecado e afins. Sou sossegada, não retrógrada. Só digo que eu, Isabella, não cato pessoas aleatórias por aí sempre  optando por investir em alguém que eu realmente goste e conheça a algum tempo. Fazê-lo pela primeira vez foi ÓTIMO! Um salve pro carinha que eu fiz isso.

Acabei entendendo as coisas erradas com tal carinha

E quebrei a cara! Meninos, uma dica: não levem a peguete de cinco dias pra conhecer os amigos mais chegados e pague de namorado com ela se não quiser dar a impressão errada. Eu caí achando que ele queria algo mais. Sei de nada, inocente.

Fiz o primeiro “erro” na minha carreira profissional e não me arrependo

Saí de um emprego “tecnicamente” certo para um com prazo de validade. Não me arrependo por fazer a minha primeira cagada no campo profissional, de trocar algo certo por algo duvidoso. Só me arrependo de me deixar ter sido puxada pela correria e não ter pulado do barco mais cedo. Fui trouxa e dormi no ponto. Camarão que dorme, a onda leva.

Perdi uma amizade que foi importante D:

Orgulho é ruim. Ele te cega. Todo mundo dar palpite nas coisas também. Essas duas coisas me fizeram perder uma das amizades mais legais que eu tive. Eu fiquei chateada por uma coisa que eu fiquei preocupada que poderia acontecer e uma que de fato aconteceu, mas a pessoa ao invés de me esclarecer e me despreocupar, preferiu passar a impressão de que estava se afastando de mim e me excluindo, coisa que ela sempre faz quando volta a se relacionar com uma certa pessoa. E resolveu reclamar que eu estava estranha duas semanas DEPOIS que eu me resolvi e estava normal. Simplesmente se afastou e começou a me ignorar.

E não quis me deixar conversar ou fazer algo a respeito. Depois, tentei chegar até ela QUATRO vezes. Recebi mensagens mal educadas em retorno. Coisa que eu NUNCA esperava de uma pessoa que se diz madura. Um simples “não quero falar agora” seria suficiente, sem jogar culpa nos outros, sem machucar ainda mais e sem neuras.

Muitos mandaram eu esquecer essa amizade. Alguns disseram para eu correr atrás, mas eu to cansada de sempre consertar tudo. Acho que a maturidade vem dos dois lados. Não posso querer ser madura pelas duas partes e me machucar e humilhar ainda mais. Ainda mais depois que algumas pessoas (tipo a minha mãe) falaram que essa amizade me fez mal… :/

A minha mão ainda está estendida se a pessoa quiser conversar. Só vamos ver até quando.

 Sobrevivi a mais um ano na faculdade

CARACA! 2015 É O ANO QUE EU ME FORMOOOO! Passei 2012 aprendendo a estudar a noite, 2013, levando vida dupla na facul e 2014, ligando o foda-se. 2015 é a hora de crescer e fazer TCC (Lana, sua linda obrigada por aturar e concordar com a ideia). A vida adulta ta batendo na porta (como se já não tivesse faz tempo).

Aprendi a ficar sozinha 

Sou carente. Admito. Quase nunca ficava no meu quarto quando ficava em casa e assistia TV o final de semana todo. Lia livros na sala, escrevia na sala, ficava vagando pela casa feito um fantasma. Em 2014, a coisa que mais fiz foi ficar no meu quarto. E porque não suportava ficar com mais alguém. Acho que toda essa parte de pseudomaturidade e reflexão da minha pessoa veio por causa dessa solidão. E agora desejo ficar sozinha boa parte do tempo, sem neuras.

Comecei a perceber o que eu quero para mim profissionalmente

Como repórter, eu quero trabalhar Billboard ou na Rolling Stone. Vida de Jornalismo Diário não é muito para mim, prefiro revistas (ainda mais pela parte de diagramação e tudo mais). Pro resto, eu quero assessoria de imprensa ou relações públicas, meu plano A desde que descobri o campo de comunicação. O plano B era/é Análise de Mídias Sociais. Vou me educar musicalmente, corporativamente e “publicidademente” e batalhar para isso após o final do curso. Não vai ser fácil, mas to pronta para isso após a faculdade.

Long Hair, Don’t Care

Passei 2013 sem cortar a juba por vários motivos. E só cortei uma vez em 2014. Tirei os 20 para ter cabelão. Ano que vem eu decido se eu cortou curto de novo ou não. Valeu a experiência.

Estou perdendo a vergonha de falar no telefone

Se eu digo que sou tímida, ninguém acredita. A verdade é que era um bicho do mato quando criança. Falar no telefone me gera um pânico tremendo. Pessoas que eu conheço são mais de boa para conversar, mas falar com um estranho me apavora! Mas estou evoluindo e superando aos poucos. A vida está colaborando.

Conheci uma lenda da beleza do Brasil

Graças a um estágio meu, consegui conhecer e entrevistar Carlos Carrasco. Ele é cabeleireiro e maquiador. Deus do make, descobriu a Gisele Bündchen e fez várias coisas pra moda no mundo todo. Entrevistá-lo foi uma honra e um medo. #CarrascoQueNada

Ele chegou todo escrachado em seu salão e me fez pensar que seria servida no almoço se cometesse algum deslize na entrevista. Fizemos um passo a passo de make, com direito à minha pessoa aprender uns truques e conversei com ele para fazer um perfil. Foi maravilhoso. Ele foi um doce comigo e a entrevista foi super legal. Fiquei me sentindo horrores depois dele me seguir no Instagram.

MAAAAAS não pude publicar nada, já que ele era do veículo concorrente ao que eu estava. Porém, o papo valeu ter que ficar na redação sem almoçar até às 19h e ir direto para facul.

Decidi viajar em 2016

Ta longe, mas a operação #IsaEmNYC2016 vai começar. Sem faculdade e outras coisas que me prendam no Brasil, vou passar um mês fora. Pra começar, acho que ta bom. Preciso conhecer gente nova, cultura nova e aprender a realmente a me virar sozinha, sozinha. Um intercâmbio é tudo o que eu preciso. Só que por enquanto money que é good nóis não have. :/

Arrumei um emprego que me faz acordar antes do sol

E, cara, não sei o que achar disso além de que eu estou ganhando uma merreca. Além de trabalhar como uma camela. Mas tudo em nome do dinheiro para a mensalidade da faculdade. É uma coisa que eu não queria, mas é o que temos para hoje.

Não ouvi minha mãe em algumas coisas, mas sinto que estamos mais próximas a cada ano que passa

Minha mãe é minha deusa. Porto Seguro. Guia. “Carrasca”. Vilã do filme da Rapunzel, ela quase sempre tem razão e canta para mim toda hora: “Sua mããããe… Sabe mais!”. Brigamos pra caramba, mas ainda nos compreendemos como ninguém. Ela não entende meus gostos, jeitos e preferências, me irrita pra cacete; mas a graça da história está aí. Se eu cair, sei que ela vai ser a primeira pessoa a me pegar do chão, beijar meus machucados e me empurrar de volta à luta. Ela quase não tem várias coisas para ela e insiste em me dar um pouco de tudo que pode. Te odeio em vários momentos, mãe, mas pretendo passar a minha vida toda te retribuindo <3.

Não escrevi nem metade do que eu queria escrever

No Blog, na vida, nas minhas histórias. E ta virando promessa de ano novo essa joça, pois sempre digo que vou escrever mais e FINALMENTE terminar alguma coisa. Termino arrumando mais dor de cabeça, isso sim, já que a minha cabeça não para de fervilhar até altas horas com plots e ideias de histórias.

Comecei duas histórias; uma meu xodó, inspirada em road trips e Sex, do THE 1975 e pensei retomar o meu “projeto” das palavras, conjunto de cenas inspirados em uma determinada palavra. Os personagens não tem nome e são “ele” e “ela, que na verdade podem ser qualquer pessoa que eu queira. <3

Achei que tinha lido menos do que queria

Em compensação a ter escrito pouco. Fechei 2012 com 51 livros lidos (os que eu contei). Em 2013 penei pra chegar nos 40/50. Esse ano, de alguma maneira, cheguei na marca dos 68 livros lidos, que eu contei. A meta era 85. Não me orgulho muito das leituras desse ano, nada tão transformador e culto. Sinto que passei o ano lendo romances bobos (A-DO-RO) com capas constrangedoras de caras sarados e tatuados. História sobre romances de época, amores bobos, Lutadores de boxe, caras desajustados e caras que tem banda. O pior que foi em português E INGLÊS. Como isso, produção?

Para 2015, valem livros que lerei pro TCC?

Não conheci tanta música nova

Depois da explosão musical que sofri em 2013, me envergonho de dizer que as grandes adições que coloquei na minha Playlist foram Ariana Grande e Sam Smith, só. Não me lembro demais ninguém novo no mercado que não tenha sido colocado (e ouvido até enjoar) no ano passado. Ta devem ter alguns, mas ta difícil lembrar…

Me apaixonei por Taylor Swift de vez (Haters gonna H8, H8, H8)

Eu nunca fui muito com a cara dela. Eu era fã de Jonas Brothers quando era mais nova e ingênua. Ainda não tinha aprendido a ser gente e odiava ela por ser “perfeita”. Loira, alta, olhos claros, magra e namorava o Joe Jonas (Apesar de eu gostar do Nick). Eu sempre gostei de alguma coisa outra que ela cantava e mantinha escondida no meu MP3. A única coisa que a redimia eram os cachos; os meus estavam começando a ficar cacheados de vez e todas as minhas famosas favoritas tinham cabelo liso. Quando ela apareceu com seu cabelo cacheado e enorme, eu tive que dar o braço a torcer. Fiquei p da vida quando ela alisou. Para vocês começarem a ter noção de como a representatividade na mídia é importante.

Ironicamente, comecei a gostar dela em 2012, quando ela “namorou” o Harry do 1D (Tava na cara que era falsooooo) e a fase adulta dela começou. Ambas crescemos e evoluímos. 1989 ta aí pra isso e, apesar de não ter gostado 100% de tudo que ela cantou no CD novo, recebo de braços abertos essa nova Taylor. Nada de girl shaming em 2015. 1989 ta phoda.

Me conectei com ela desde o discurso de “I Knew You Are Trouble” por que todos temos relações tóxicas em nossas vidas que desejávamos que fossem boas, mas não são. E que quando acabam, queremos as pessoas de volta, mas tudo o que sobra são as lembranças. Me identifiquei ainda mais com a mensagem de Taylor em 1989: ‘From the girl who said she’d never cut her hair or move to New York or find happiness in a world where she is not in love…’ (Da menina que nunca cortaria o cabelo, mudar para Nova York ou encontrar a felicidade em um mundo onde ela não estivesse apaixonada…)

Taylor: Da menina que disse que nunca ia deixar o cabelo crescer, querer ficar sozinha ou que a felicidade estava no amor. Eu estava errada. Sobre quase tudo. Isa <3

A mensagem de 1989 que ficou para os fãs de Taylor foi que ela perdeu seu homem, mas se encontrou e no final foi isso que importou. Para mim, a mensagem de 2014 que ficou foi que eu perdi várias coisas importantes (não necessariamente um homem), mas comecei a me encontrar. E no final isso foi tudo o que eu precisava.

Be kind to me 2015!

Assinatura Isa

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *